WWW.THESES.XLIBX.INFO
FREE ELECTRONIC LIBRARY - Theses, dissertations, documentation
 
<< HOME
CONTACTS



Pages:   || 2 |

«Nilton Eduardo Torres Rojas 1,3 José Roberto Verani 2 Maria Amália Basile-Martins 1 ABSTRACT. The effeet of abiotie faetors on the hatehing of ...»

-- [ Page 1 ] --

Influência de fatores abióticos na eclosão de ovos

dormentes do rotífero Brachionus ca/yciflorus Palias

(Monogononta, Ploima)

Nilton Eduardo Torres Rojas 1,3

José Roberto Verani 2

Maria Amália Basile-Martins 1

ABSTRACT. The effeet of abiotie faetors on the hatehing of Brac11ionus ca/yeiflorus Palias (Monogononta, Ploima) resting eggs. The factors involved in the

induction of resting eggs development and hatching are poorly understood for Brachipopulations of South Hemisphere. The role of some abiotic factors onus calycijlorus in controlling the hatching rates of B. calycijlorus resting eggs was investigated.

Determination of optimum hatching conditions would be important in developing the use of this species as food for fish larvae in aquaculture. Resting eggs were exposed to different treatments in the laboratory, and monitored for hatching over a period of five days. Optimum hatching conditions were: pH 5-9, water ionic concentrations from 220 to 880 mg.r l ofselected salts, temperature 25 - 30°C, photoperiod eight or more hours light per day, and light intensity equal to or greater than 850 lux.

KEY WORDS. Brachionus ca/yc(florus, rotifer, resting eggs, hatching eggs, abiotic factors A diversidade de tipos de reprodução, que variam da partenogênese à reprodução sexuada, bem como a produção de ovos de repouso, são os aspectos biológicos mais marcantes do ciclo de vida de alguns organismos zooplanctônicos.

Os ovos dormentes, ou embriões encistados, que podem permanecer em repouso por longos períodos, são estudados por pesquisadores que procuram entender seu significado ecológico e as características biológicas da espécie que os produz (GILBERT 1974; KING 1980; POURRIOT & SNELL 1983). Os ovos dormentes, ou embriões encistados, que podem permanecer em repouso por longos períodos, são estudados por pesquisadores que procuram entender seu significado ecológico e as características biológicas da espécie que os produz (GILBERT 1974; KING 1980;

POURRlOT & SNELL 1983), e sua produção em massa para utilização na aqüicultura (HAGIWARA (1994).

Os fatores que determinam a interrupção do repouso e a eclosão de ovos dormentes ainda necessitam ser melhor investigados, principalmente se levar em consideração as diferentes linhagens zoogeográficas. Portanto, o objetivo deste trabalho foi verificar se há qualquer relação entre pH, concentração de íons dissolInstituto de Pesca. Avenida Francisco Matarazzo 455,05001-900 São Paulo, São Paulo, Brasil.

2) Departamento de Hidrobiologia, Universidade Federal de São Carlos. Estrada Washington Luís, Km 235, 13565-905 São Carlos, São Paulo, Brasil.

3) Bolsista da CAPES.

–  –  –

vi dos, temperatura, fotoperíodo e intensidade luminosa e a eclosão de ovos dormentes de uma população do rotífero Brachionus calyciflorus Palias, 1776, procurando subsidiar a definição de técnicas de eclosão.

MATERIAL E MÉTODOS

Os rotíferos foram coletados em viveiros de criação de peixes, em Pirassununga (21 °58'S, 47°26'W), São Paulo, Brasil.

As populações foram mantidas em aquários contendo 30 a 40 litros de água, instalados em laboratório (climatizado à temperatura de 25± 1°C, fotoperíodo de 14 horas e intensidade luminosa de 500 lux com lâmpada fluorescente). Semanalmente, dois terços da água dos recipientes de cultivo era renovada. A água reposta provinha de uma caixa de fibro-cimento (mil litros de capacidade) colocada externamente ao laboratório e contendo plantas aquáticas (Elodea sp.) e peixes (Poecilia sp.). O nível da água desta caixa era mantido principalmente com água pluvial. Antes de ser utilizada nos recipientes de cultivo, a água era filtrada mecanicamente em rede de plâncton de 30 ~m e aerada por 24 horas.

Os rotíferos, alimentados "ad libitum" duas vezes ao dia, recebiam, pela manhã, levedura de panificação (Saccharomyces cerevisiae) e, ao final da tarde, microalgas (Chlorella homosphaera e/ou Scenedesmlls ecornis e/ou KirchnerieIla lunaris e/ou Chlamydomonas sp. e/ou Nephrocylillm lunatillm) cultivadas em meio de cultura W.c. (GUILLARD & LORENZEN 1972) e centrifugadas durante a fase exponencial de crescimento antes de serem utilizadas. Para produção das algas foi utilizada metodologia semelhante à descrita por PORTELLA et aI. (1997), ~ue obtiveram concentrações de Chlorella homosphaera de até 5 X 10 células.mr.

A produção de ovos dormentes pelas populações de B. calyciflorus, cultivadas em laboratório, foi espontânea. Semanalmente, o fundo dos recipientes de cultivo era inspecionado e, ao se constatar a presença de um número suficiente de ovos para montagem de um experimento, estes eram coletados por sifonagem e mantidos em água à temperatura de 5±I°C, em um refrigerador. Após um período mínimo de 15 dias, os ovos eram testados para verificar a ocorrência ou não de eclosão (perda de dormência) e, posteriormente, serem utilizados nos testes.

Os experimentos, com duração de cinco dias, foram realizados em vidros de relógio (7 cm de diâmetro) contendo 7 ml de água.

Para os testes de eclosão de ovos nos experimentos 1, 3, 4 e 5 foi utilizada uma mistura de água do filtro biológico e água destilada (1: 1), previamente aerada por 12 horas. Para o preparo das soluções do experimento 2 foi utilizada água deionizada, também aerada pelo mesmo período, antes do experimento.





Durante os experimentos a água era trocada diariamente para monitoramento ou correção do pH e da condutividade.

No primeiro experimento os ovos foram expostos aos valores de pH 3 a 12.

Para ajuste do pH foram utilizadas soluções de hidróxido de sódio (NaOH) e de ácido clorídrico (HCI).

No segundo experimento os ovos foram mantidos em meios contendo diferentes concentrações dos principais íons que ocorrem no ambiente aquático. A composição destes meios é apresentada em AMERlCAN PUBLIC HEAL TH ASSOCIATION (1989) como apropriada para ensaios de laboratório (Tab. J).

Revta bras. Zool. 16 (Supl. 2): 27 - 35, 1999 Influência de fatores abióticos na eclosão de ovos...

–  –  –

No terceiro experimento, realizado em câmara de germinação, os ovos foram mantidos nas temperaturas de 10, 15, 20, 25, 30, 35 e 40±1°C. A intensidade luminosa no interior da câmara (650 lux com lâmpada fluorescente) foi semelhante à utilizada no laboratório para a realização dos experimentos 1 e 2.

No quarto experimento os ovos foram submetidos, na câmara de germinação, a diferentes fotoperíodos: O, 8, 12, 16 e 24 horas. A temperatura uti lizada foi 25± I °C e a intensidade luminosa, quando necessária, 650 lux.

No quinto experimento, realizado em câmara de germinação, os ovos foram submetidos a diferentes intensidades luminosas: O, 650, 850, 1350 e 2000 lux. A temperatura foi mantida em 25± I°C e o fotoperíodo foi de 12 horas, com exceção do tratamento em que os ovos permaneceram no escuro.

Para cada experimento e/ou réplica todos os ovos utili zados, foram produzi dos por uma mesma população e em uma mesma época.

Cada experimento teve uma réplica. Cada tratamento de cada experimento teve 10 repetições, uti Iizando-se 10 ovos em cada uma. Portanto, para cada tratamento de cada experimento foram feitas 20 repetições com total de 200 ovos. Para todos os experimentos foram utili zados 6600 ovos.

Para verificação do efeito dos fatores estudados na taxa de eclosão dos ovos, aplicou-se a Análise de Variância (ANOVA) para experimentos inteiramente casualizados, considerando-se as 20 repetições de cada tratamento em nível de confiança de 95%. Como complementação a esta análise, nos casos em que o resultado foi significativo aplicou-se o teste de Tukey (p0,05), para agrupamento de médias significativamente iguais (SNEDECOR & COCHRAN 1971).

RESULTADOS

Os ovos dormentes de B. calyciflorus apresentaram tamanho médio de 166,20±1 5,5 1 XIII,56± Ii,86 flm; para n= 100.

Os resultados obtidos com os ovos dormentes de B. calyciflorus expostos a diferentes valores de pH indicam que eles eclodem em uma ampla variação deste fator (Fig. 1). Observa-se que não existem diferenças significativas entre os resultados obtidos em valores de pH de 5 a 9 (~Tukey=1,596; p0,05). Fora desta faixa de pH também ocorreu eclosão, mas em menores porcentagens. A eclosão só não ocorreu em valores de pH extremos: pH 3 e 12.

Na tabela 11 são apresentados os resultados de eclosão dos ovos expostos a diferentes concentrações de íons na água. Observa-se que não existem diferenças Revta bras. Zool. 16 (Supl. 2): 27 - 35, 1999 30 Rojas et aI, significativas (LiTukey= 1,286; p0,05) entre os tratamentos em que se utilizaram água mole, dura, muito dura e moderadamente dura, Entretanto, os resultados dos tratamentos em que se utilizaram água muito mole e mole não fazem parte do mesmo agrupamento de médias, apesar de representarem o ambiente onde o rotífero foi coletado,

–  –  –

(*) As variações de pH e condutividade apresentadas representam o menor e o maior valor registrado dentre todos os recipientes de um mesmo tratamento, durante os cinco dias de experimentação,

–  –  –

Fig. 1, Taxa de eclosão dos ovos dormentes de B, ca/yciflorus em função de diferentes valores de pH. As letras a, b, c, d, e, agrupam as médias significativamente iguais. As médias sem diferença significativa possuem letras iguais.

Para os ovos submetidos a diferentes temperaturas observa-se (Tab, IlI) que não foram detectadas diferenças significativas (LiTukey=0,974; p0,05) entre os resultados obtidos às temperaturas de 25 e 30°C (eclosão de 88 e 83%, respectivamente), Fora desta faixa a porcentagem de eclosão decresceu, Em relação ao fotoperíodo e à intensidade luminosa, os resultados indicam que os ovos dormentes da população estudada eclodem em grandes variações destes parâmetros, Para o fotoperíodo, o resultado do teste de Tukey agrupa os tratamentos em que se utilizaram 8, 12, 16 e 24 horas de exposição a luz, e para a intensidade luminosa foram reunidos aqueles em que se empregaram 850, 1350 e 2000 lux (Tab, IV),

–  –  –

Tabela IV. Taxa de eclosão (média e erro padrão) dos ovos dormentes de B. ca/yciflorus submetidos a diferentes fotoperiodos e intensidades luminosas. As letras a e b agrupam as médias significativamente iguais. As médias sem diferença significativa possuem letras iguais.

–  –  –

(*) Fotoperiodo: ~Tukey = 1,320; p0,05; (**) Intensidade Luminosa: ~Tukey = 1,177; p0,05.

Para os experimentos relativos a temperatura, fotoperíodo e intensidade luminosa, os valores de pH estiveram ao redor da neutralidade (6 a 8) e os de condutividade apresentaram variação semelhante àquela verificada no tratamento em que se utilizou água muito mole do experimento sobre concentração de sais(38 a 179 IlS.cm-1).

DISCUSSÃO

Com o procedimento utilizado na alimentação de B. calyciflorus procurou-se eliminar a probabilidade de a dieta estar influenciando a viabilidade dos ovos dOlmentes, pois os organismos, estando suficientemente bem nutridos, devem gerar ovos energeticamente ricos (GILBERT ] 980; HAGIWARA & HrNO 1990).

A produção de ovos dormentes pelas populações cultivadas foi considerada espontânea e ocorreu sincronicamente durante curtos períodos. Foram testados diferentes fatores de indução da produção destes ovos, mas os resultados positivos foram eventuais, não sendo possível indicar um parâmetro que, efetivamente, induzisse sua obtenção. Estes testes incluíram o aumento da temperatura da água, em um período de 24 horas, de 20 à 30±3°C; a manutenção das populações no escuro e em foto período de 24 horas e a utilização de intensidades luminosas de 500 e 2000 Revta bras. Zool. 16 (Supl. 2): 27 - 35,1999 32 Rojas etal.

luxo Outras tentativas de indução à produção de ovos dormentes foram realizadas com diferentes manejos alimentares relativos a qualidade (oferecimento de cultura unicelular ou uma mistura de espécies de algas) e a quantidade de alimento (grande disponibilidade e interrupção da alimentação). Na prática, as populações foram mantidas em aquários, até o momento em que entravam em intensa e sincronizada produção de ovos. O período entre uma produção de ovos e outra nunca foi o mesmo ou seja, não houve coincidência nos estágios parentais. Futuros trabalhos devem ser desenvolvidos na tentativa de indicar os fatores que induzam a formação de ovos dormentes de rotíferos de regiões tropicais. Estas tentativas são de vital importância, pois o não conhecimento desses fatores constituiu uma das maiores dificuldades para a realização deste trabalho.

Influência do pH Durante as 24 horas decorridas entre as trocas de água, verificou-se que em alguns tratamentos ocorreram variações de até duas unidades de pH. Em virtude desta variação empregou-se o termo "exposição dos ovos", e não "manutenção dos ovos" a diferentes valores de pH. A "manutenção" dos ovos em um determinado valor de pH exigiria a utilização de tampões apropriados, que introduziriam no meio outras variáveis, como teor de sais. Assim, a substituição diária da água, por outra com o pH ajustado, sujeitava os ovos a brusca variação deste parâmetro, principalmente em valores extremos de pH.

Não foram encontradas, na bibliografia consultada, informações sobre a influência do pH na eclosão de ovos dormentes de rotíferos.

A taxa de eclosão dos ovos dormentes desta espécie, em valores de pH extremos, demonstra que eles teriam condições de, quando presentes no sedimento dos viveiros de criação de peixes, resistir aos processos de calagem. Estes procedimentos são comumente utilizados em aqüicultura, e causam grandes variações de pH da água. Além disso estes ovos também seriam capazes de resistir às acentuadas a lterações de pH e condutividade da água observadas diariamente, principalmente quando a água dos viveiros está eutrofizada, permanecer viáveis e produzir alguns jovens que recolonizariam o ambiente.



Pages:   || 2 |


Similar works:

«GTU INNOVATION COUNCIL www.gtuinnovationcouncil.ac.in PartIII: Guideline for BE Semester VIII Students (2014-15) Circular for the Final Year project Online registration and submission on the Project Monitoring and Mentoring System (PMMS) http://projects.gtu.ac.in/ To: Final Year BE students Dear Students The Faculty Guides for the Final Year Projects The Heads of Departments and The Principals/ Directors of Engineering Colleges/ Institutes As of 13th April 2015, total 40,028 students (11105...»

«1 TARTU SEMIOTICS LIBRARY 11 Series editors: Kalevi Kull Silvi Salupere Peeter Torop Advisory board: Tatiana Chernigovskaja (St Petersburg State University, Russia) Robert E. Innis (University of Massachusetts Lowell, USA) Frederik Stjernfelt (Aarhus University, Denmark) Jaan Valsiner (Clark University, USA) Ekaterina Velmezova (Lausanne University, Switzerland) Vilmos Voigt (Eötvös Loránd University, Hungary) Tartu Semiootika Raamatukogu 11 Тартуская библиотека...»

«COLORFRONT ENGINE GETTING STARTED GUIDE VERSION 1.0 ON-SET DAILIES EXPRESS DAILIES ON-SET LIVE COLORFRONT ENGINE FOR NUKE Table of Contents Background Introduction Colorfront Engine Components Input Transform Module (IDT) Scene Referred Camera Color Module (Pre-Grade) Creative Grading Tools (CC) Look Module (LMT) Colorfront Engine Workflow Acquisition and Dailies using Colorfront Software Express Dailies and On-Set Color Colorfront Engine for Nuke Background In today’s production world of...»

«Cooperatives’ Power of Innovation Texts selected from the international call for papers FONTERRA AS A CASE STUDY OF COOPERATIVE CAPITAL STRUCTURE INNOVATION Nicola SHADBOLT1 and Alex DUNCAN2 Abstract The ground in which cooperatives grow shapes their evolution and means that context matters in critically assessing their diversity of form. Fonterra’s evolution since its formation in 2001, has been influenced by both its constitution and its legislative environment. Members being able to...»

«1 Soluciones Ingeniosas de Agua Ejemplos de tecnologías innovadoras y económicas para pozos, bombas, almacenamiento, irrigación y tratamiento (Smart water solutions). La primera edición de este librillo (en Inglés) fue publicado como contribución al Tercero Foro Mundial de Agua en Kyoto en Marzo 2003 en una acción colaborativa de Netherlands Water Partnership, Partners voor Water, PRACTICA, IRC, SIMAVI y AGROMISA. La segunda edición (en Inglés) fue apoyada económicamente por Partners...»

«Ninth Iberoamerican Conference on Culture Montevideo, July 13 and 14, 2006 “IBEROAMERICAN CULTURAL CHARTER” IBEROAMERICAN CULTURAL CHARTER PREAMBLE The Heads of State and Government of the Iberoamerican countries: Taking account of the principles stated in the Declaration of the First Iberoamerican Summit held in Guadalajara, Mexico (1991), and convinced that “we represent a vast set of nations that share roots and the rich heritage of a culture founded upon the sum of diverse peoples,...»

«A Jazz Jumpstart Workshop IBM Rational Team Concert V4.0 Enterprise Extensions Build Administration Workshop © 2013 IBM Corporation IBM Software Acknowledgments and Disclaimers © Copyright IBM Corporation 2013 The information contained in these materials is provided for informational purposes only, and is provided AS IS without warranty of any kind, express or implied. IBM shall not be responsible for any damages arising out of the use of, or otherwise related to, these materials. Nothing...»

«UNTOLD STORIES FROM AMERICA'S NATIONAL PARKS BY SUSAN SHUMAKER SUE KUNITOMI EMBREY (PART 12, PAGES 225 – 243) For more information, visit www.pbs.org/nationalparks/untold-stories/ SUe kUnitoMi eMbrey In late 1969, a student driving Sue Embrey home from class at UCLA’s Asian American Studies Center invited her to join a group on a pilgrimage to Manzanar, the internment camp where she’d been incarcerated nearly 27 years before. The invitation came in the midst of anti-Vietnam war...»

«STRONG FAMILIES The following appendices document progress made on the Commission goal area of Strong Families. This includes two funding subcategories:  Homeless Prevention  Family Support Services APPENDIX 8: Homeless Prevention FY 14/15 Children and Families Commission of Orange County Homeless Prevention Report This program report describes the Commission’s investments in the Homeless Prevention program and the outcome of those investments. It also documents the current state of...»

«Marketing proactivo en períodos de crisis y sus efectos en el desempeño empresarial. Propuesta de Tesis Doctoral Diana Mesa Correa diana.patricia.mesa@upc.edu diamesco@gmail.com Directoras que se proponen Dra. Carme Martínez Costa Dra. Marta Mas Machuca Doctorado Dirección y Organización de Empresas Departamento de Organización de Empresas Universitat Politècnica de Catalunya Julio de 2010 Tabla de contenido 1. Resumen del proyecto. 3 2. Definición del proyecto objeto de investigación....»

«ISSN impresa 0717-3644 Maderas. Ciencia y tecnología 15(3): 337-348, 2013 ISSN online 0718-221X DOI 10.4067/S0718-221X2013005000026 PROPIEDADES QUÍMICAS, COLOR Y HUMECTABILIDAD DE PARTÍCULAS DE Laureliopsis philippiana (TEPA) CON Y SIN TRATAMIENTO TÉRMICO CHEMICAL PROPERTIES, COLOR AND WETTABILITY OF Laureliopsis philippiana (TEPA) PARTICLES WITH AND WITHOUT THERMAL TREATMENT Rommel Crespo G1, 2, Marcos Torres U.1, Luis Valenzuela H.3, Hernán Poblete W. 1,♠ RESUMEN El propósito de este...»

«Episode Guide Episodes 001–040 Last episode aired Thursday June 16, 2016 c www.bbcamerica.co.uk c 2016 www.tv.com c 2016 c 2016 c 2016 www.bbcamerica.co.uk orphanblack.wikia.com www.threeifbyspace.net c 2016 twocentstv.com c 2016 www.metro.us c 2016 c 2016 popinsomniacs.com www.tvgoodness.com c 2016 www.buddytv.com The summaries and recaps of all the Orphan Black episodes were downloaded from http://www.tv.com and http: //www.bbcamerica.co.uk and http://orphanblack.wikia.com and...»





 
<<  HOME   |    CONTACTS
2016 www.theses.xlibx.info - Theses, dissertations, documentation

Materials of this site are available for review, all rights belong to their respective owners.
If you do not agree with the fact that your material is placed on this site, please, email us, we will within 1-2 business days delete him.